ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TUBOS POLIOLEFÍNICOS E SISTEMAS

 

Aplicações



O Polietileno (PE) é um material termoplástico obtido através da polimerização do eteno. É uma resina inerte, da família das olefinas, já que possui somente hidrogênio e carbono em sua estrutura química. Daí também dizer-se que o polietileno pertence às poliolefinas. Advém disso sua atoxidade e enorme resistência química.

Os polietilenos de alta densidade (PEAD) com peso molecular elevado são especialmente indicados à fabricação de tubos, com excelentes propriedades mecânicas, físicas, químicas e hidráulicas, apresentando ótima resistência ao tensofissuramento e ao creep, assegurando vida útil superior a 50 anos. Aditivado com negro-de-fumo garante resistência à fotodegradação, permitindo seu uso exposto ao tempo.

Generic placeholder image

Largamente utilizados e padronizados em normas nacionais (ABNT) e internacionais (ISO, EN, ASTM, etc) os tubos de polietileno de alta densidade são produzidos com resinas especiais designadas e qualificadas como PE 80 e PE 100, com tensões de dimensionamento hidrostático a 20ºC para vida útil mínima de 50 anos de 8 e 10 MPa, respectivamente.

Generic placeholder image

Também oferecidos para linhas de esgoto e águas pluviais na forma de tubos corrugados de parede simples ou dupla com superfície interna lisa. Há mais de 50 anos são consagrados em todo o mundo em diversas aplicações - redes e ramais de distribuição de água, de gás, adutoras, emissários - com grandes vantagens econômicas e técnicas. A cada dia novas aplicações são encontradas e os tubos de polietileno vêm ganhando o espaço de materiais tradicionais.

Generic placeholder image

Dada a sua flexibilidade, resistência ao impacto e sistemas de união estanques e resistentes à tração, os sistemas de instalação não-destrutiva (sem abertura de valas) tornaram-se viáveis, econômicos e seguros, trazendo enormes benefícios em obras urbanas.

Generic placeholder image

Principais características:

  • elevada resistência ao impacto e à abrasão;
  • elevada resistência química (praticamente imune à temperatura ambiente);
  • atóxico (excelente para transporte de água potável e alimentos);
  • impermeável;
  • flexibilidade (pode ser fornecido em bobinas e diminui peças no campo);
  • leveza (densidade aproximada 0,95 g/cm 3);
  • imune às corrosões química e galvânica;
  • sistemas de união soldáveis ou por juntas mecânicas resistentes à tração;
  • reduzido número de juntas;
  • excelentes características hidráulicas (C = 150) e baixíssimo efeito de incrustações;
  • propicia maior velocidade de obra (permite uniões/soldagens fora da vala);
  • menor largura de vala, menor custo de assentamento, recobrimento e recapeamento;
  • custo global de obra menor;
  • vida útil superior a 50 anos.

As principais aplicações:

  • redes de distribuição de água;
  • adutoras, captações de água;
  • emissários terrestres e subaquáticos;
  • redes coletoras de esgoto e águas pluviais;
  • redes de distribuição de gás;
  • linhas de irrigação por aspersão e gotejamento;
  • transporte de combustíveis (gasolina, diesel, gás, álcool);
  • conduítes de fibra ótica e cabos de energia elétrica;
  • transporte de sólidos (linhas de dragagem e minérios)
  • tubulações de efluentes e produtos químicos agressivos, entre outros

Formas de Fornecimento:

  • barras de 12 a 21 m;
  • bobinas de 50 ou 100 m (podendo ser maiores) para tubos de Ø 20 a 125 mm

Métodos de União:

  • Soldagem:
    Solda de topo por termofusão
    Solda por Eletrofusão
    Solda tipo soquete por termofusão
  • Juntas Mecânicas tipo Compressão:

Cada um dos métodos de união contempla sua própria família de conexões para atender a todas as necessidades de projeto, tais como: cotovelos, tês, reduções, peças de derivação; peças de transição e adaptação para diversos elementos de tubulação (como válvulas, ventosas, etc) e outras tubulações.


Generic placeholder image

Solda de Topo


Generic placeholder image

Conexões Spigot